Uma visão sociológica sobre a violencia doméstica: o combate à violência de genêro

  • FABIANA MARIA SIMÕES SILVA VILAR ALVES

Resumen

O presente estudo tem como fi nalidade apresentar uma breve explanação sobre a violência contra a mulher e sua subordinação ao homem, sob uma perspectiva sociológica (já que, essa discriminação e tratamento inferior dado à mulher nada mais é do que uma verdadeira construção histórico-cultural); bem como demonstrar como é realizado seu enfrentamento no Brasil, levando em consideração orientações de cunho mundial.

 PALAVRAS-CHAVE

Violência doméstica, Violência contra a mulher, Empoderamemnto, Formas de discriminação.

 

Biografía del autor/a

FABIANA MARIA SIMÕES SILVA VILAR ALVES
Advogada. Professora de prática cível na Faculdade de Direito de Garanhuns. Coordenadora do Núcleo de Prática Jurídica da
FDG. Doutoranda em direito civil pela Universidade de Buenos Aires.

Citas

Bassanezi, C. (2006). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto. 8ª ed. Disponível em: http://books.google.com.br/books?hl=pt PT&lr=&=8KgRl5ZvX8wC&oi=fnd&pg=PA7&q=historia+da+mulher&ots=Nr1OSEZJTN&sig=Dyu8w4Fb9nPxIiBrL53Bl
J9Um6U#v=onepage&q=historia%20da%20mulher&f=falseBeauvior, S. O segundo sexo. São Paulo: Ed.

Difusão Européia de Livros. Tradução de Sergio Milliet. Bobbio, N. (1992). A era dos Direitos. Tradução de Carlos Nelson Counho. Rio de Janeiro: Elsevier. 19ª eimpressão. Bonavides, P. (1997). Curso de Direito Constitucional. 7ª ed. Revista e ampliada. São Paulo: Ed. Malheiros.

Buarque, C. (2012). Anuário da Secretaria da Mulher de Pernambuco.

Código Civil Brasileiro de 1996.

Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher,Convenção de Belém do Pará”. Disponível em: http://www.cidh.oas.orgbasicosportuguesm.Belem.do.Para.html

Da Silva, R. (2008). Evolução histórica da mulher na legislação civil. http://ditzio.ecn.
br/adv/txt/ehlc.pdf. Acessado em 17 de setembro de 2013.

Lenza, P. (2011). Direito Constitucional Esquematizado. 15ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Lenza, P. (2012). Direito Constitucional Esquematizado. 16ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Piovesan, F. (2004). Ações Afirmativas da Perspectiva dos Direitos Humanos. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v35n124/a0435124.pdf

Piovesan, F. (2013). Pela Implementação da Lei Maria da Penha: A luta das mulheres pelo direito a uma vida sem violência. Disponível em:
http://www.compromissoeatitude.org.br/pela-plena-implementacao-da-lei-mariada-penha-a-luta-das-mulheres-pel o-direitoa-uma-vida-sem-violencia-por-fl avia-piovesan/

Saffioti , S. (1987). Bongiovani Iara Heleith. O Poder do Macho. Ed. Moderna.

Scott , J. (1994). Deconstruir igualdad –versus- diferencia: uso de la teoría posestructuralista para el feminismo. Revista Feminaria, (13), Buenos Aires.

Silva, J. A. da (2007). Ação Popular Constitucional: Doutrina e Processo. 2ª Ed. Revista e ampliada. São Paulo: Ed. Malheiros.

Tavares, A. R. (2008). Curso de Direito Constitucional. 6ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Tirado, M. (2013). Comercio Sexual. Segunda edición. Bogotá: ILAE.

Wald, A. (2009). Direito Civil, Direito de Família. Ed. 17ª. São Paulo: Ed. Saraiva. www.ipas.org.br. Acessado em 23 de setembro de 2013.
Publicado
2014-03-27
Cómo citar
SILVA VILAR ALVES, F. (2014). Uma visão sociológica sobre a violencia doméstica: o combate à violência de genêro. Vis Iuris. Revista De Derecho Y Ciencias Soicales, 1(2), 9-25. Recuperado a partir de http://revistas.usergioarboleda.edu.co/index.php/visiuris/article/view/664
Sección
Artículos