Uma visão sociológica sobre a violencia doméstica: o combate à violência de genêro

FABIANA MARIA SIMÕES SILVA VILAR ALVES

Resumen


O presente estudo tem como fi nalidade apresentar uma breve explanação sobre a violência contra a mulher e sua subordinação ao homem, sob uma perspectiva sociológica (já que, essa discriminação e tratamento inferior dado à mulher nada mais é do que uma verdadeira construção histórico-cultural); bem como demonstrar como é realizado seu enfrentamento no Brasil, levando em consideração orientações de cunho mundial.

 PALAVRAS-CHAVE

Violência doméstica, Violência contra a mulher, Empoderamemnto, Formas de discriminação.

 


Texto completo:

PDF

Referencias


Bassanezi, C. (2006). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto. 8ª ed. Disponível em: http://books.google.com.br/books?hl=pt PT&lr=&=8KgRl5ZvX8wC&oi=fnd&pg=PA7&q=historia+da+mulher&ots=Nr1OSEZJTN&sig=Dyu8w4Fb9nPxIiBrL53Bl

J9Um6U#v=onepage&q=historia%20da%20mulher&f=falseBeauvior, S. O segundo sexo. São Paulo: Ed.

Difusão Européia de Livros. Tradução de Sergio Milliet. Bobbio, N. (1992). A era dos Direitos. Tradução de Carlos Nelson Counho. Rio de Janeiro: Elsevier. 19ª eimpressão. Bonavides, P. (1997). Curso de Direito Constitucional. 7ª ed. Revista e ampliada. São Paulo: Ed. Malheiros.

Buarque, C. (2012). Anuário da Secretaria da Mulher de Pernambuco.

Código Civil Brasileiro de 1996.

Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher,Convenção de Belém do Pará”. Disponível em: http://www.cidh.oas.orgbasicosportuguesm.Belem.do.Para.html

Da Silva, R. (2008). Evolução histórica da mulher na legislação civil. http://ditzio.ecn.

br/adv/txt/ehlc.pdf. Acessado em 17 de setembro de 2013.

Lenza, P. (2011). Direito Constitucional Esquematizado. 15ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Lenza, P. (2012). Direito Constitucional Esquematizado. 16ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Piovesan, F. (2004). Ações Afirmativas da Perspectiva dos Direitos Humanos. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v35n124/a0435124.pdf

Piovesan, F. (2013). Pela Implementação da Lei Maria da Penha: A luta das mulheres pelo direito a uma vida sem violência. Disponível em:

http://www.compromissoeatitude.org.br/pela-plena-implementacao-da-lei-mariada-penha-a-luta-das-mulheres-pel o-direitoa-uma-vida-sem-violencia-por-fl avia-piovesan/

Saffioti , S. (1987). Bongiovani Iara Heleith. O Poder do Macho. Ed. Moderna.

Scott , J. (1994). Deconstruir igualdad –versus- diferencia: uso de la teoría posestructuralista para el feminismo. Revista Feminaria, (13), Buenos Aires.

Silva, J. A. da (2007). Ação Popular Constitucional: Doutrina e Processo. 2ª Ed. Revista e ampliada. São Paulo: Ed. Malheiros.

Tavares, A. R. (2008). Curso de Direito Constitucional. 6ª edição. São Paulo: Ed. Saraiva.

Tirado, M. (2013). Comercio Sexual. Segunda edición. Bogotá: ILAE.

Wald, A. (2009). Direito Civil, Direito de Família. Ed. 17ª. São Paulo: Ed. Saraiva. www.ipas.org.br. Acessado em 23 de setembro de 2013.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia de Creative Commons
Revista Vis Iuris by Universidad Sergio Arboleda santa marta is licensed under a Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional License.